quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Antes tarde do que nunca...

No dia 15 de outubro foi comemorado o dia do professor. Um dia antes fomos desafiados a escrever um texto sobre: “Qual o professor que mais marcou a sua vida e por quê?" Comecei a pensar na minha primeira série. Professor é aquela pessoa que começa a explicar como são dados os primeiros passos na vida. Ensina o que é matemática, português, história e geografia. Ensina o que é ganhar e perder, andar e correr.

Para pensar

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Presente de aluno


Minha aluna, Ariadne Bognar, me mandou este link. Considerei um presente. Quero compartilhar com todos os colegas professores:



terça-feira, 1 de novembro de 2011

Qual professor marcou a sua vida?

Por Marina Migliorucci
A necessidade de fazer um texto sobre o professor que marcou a minha vida me deixou preocupada durante todo o final de semana. Isso porque eu não tenho um professor que marcou a minha vida, tive vários. Cada um passou o que sabia para mim, alguns aprendizados levo comigo até hoje, outros infelizmente eu esqueci.
Tudo começou no Jardim de Infância, foi lá que aprendi a escrever e com o apoio da professora Elisa Bizzi, mais conhecida como “Tia Eliza”, escrevi o meu primeiro livro. “Coelhinha Fifi”, um livro infantil que não fez tanto sucesso no mundo dos escritores, mas que gerou orgulho para toda minha família.
O tempo passou, cheguei no colegial cercada de pressão e milhões de profissões que surgiam sem parar. Recebi o apoio de vários anjos. Colegial é aquela época que a gente tem mais de 10 professores e cada um deixa algo especial. Alguns que eu conhecia desde criança, como o professor Joir, que me apelidou carinhosamente de diarréia - por ter me ajudado na praia uma vez que fiquei doente -, ele sabia que eu odiava física, mas me obrigava a me esforçar mais e mais para poder passar no vestibular.
Hércules, professor de química, cowboy, cabeça grande, que não desistia de me explicar, mesmo quando até eu já tinha desistido de tentar entender os elementos e suas funções. Pupo, com suas incríveis performances na aula de história; Fausto, com sua mania de me usar como exemplo em todas as piadas de loira; Mário, com suas piadas engraçadas e a sua “mágica” de furar coco com bala e é claro o Augusto, que com sua incrível paixão pelo saber e seu amor pelos alunos e pela vida, tinha um jeito especial e todo romântico de ensinar biologia.
Cheguei na faculdade e cada dia fico mais feliz por ter a oportunidade de ter contato com tantos profissionais maravilhosos que são extremamente bons naquilo que fazem.
Porém, existe um professor que especialmente hoje merece uma homenagem especial. Infelizmente ele faleceu essa manhã, depois de ter lutado muito contra o câncer e de ter recebido a terrível notícia que seu filho também estava doente. Reynaldo Gianecchine, o Patão ou o “original”, como gostava de se apresentar. Ele não foi apenas um professor que tornou as aulas de química mais divertidas, ou que deixou as tardes de sexta-feira menos tediosas. Ele acreditava nos alunos dele, acreditava até naqueles que não paravam de brincar e não prestavam nunca atenção nas aulas, o amor por ensinar era enorme.
Sempre querendo que mostrássemos o nosso melhor, sempre com o maior orgulho do filho dele, um menino do interior tinha se tornado um galã e um dos homens mais desejados do Brasil. E coitado de  quem falasse mal do filho dele. Como qualquer pai, Reynaldo  defendia seu filho com unhas e dentes.
No segundo colegial, ele deu um susto em todos nós, foi para o hospital passando mal. Lembro que todos rezaram, pedindo que ele voltasse logo, ele voltou. E voltou com aquele ar de esperança dizendo que não devíamos desistir nunca. Patão ensinou além da química, o valor à família, o valor do saber, deu conselhos  e ensinou que não existe sentimento mais importante que o amor. O que ficou foi a saudade e os valores humanos que ele construiu em cada um de seus alunos.
Feliz Dia dos Professores para todos aqueles que me fizeram crescer e são responsáveis por tudo que sei hoje. Descanse em paz, meu querido Patão, seus alunos jamais esquecerão você.

Qual professor marcou a sua vida?

Seu Clemente

Por Kaio Esteves


 
Tive muitos professores. Alguns bons, outro ruins. Uns poucos que nem deveriam ser professores, outros que deveriam ser deuses. Dentre estes, um marcou toda minha vida e acho que ele tem essa consciência.
Irapuruense nato, o professor Clemente Salles, que leciona aulas de história na Escola Estadual José Édson Moysés, em Irapuru-SP, foi o educador que mais me marcou. O famoso “Seu Clemente” me deu aulas do 5º ano do ensino fundamental ao 2º ano do colegial, sempre com seu jeito autoritário. Gostava de música clássica, vestir Polo Sport, e assistir aos jogos do Corinthians, este último que possibilitou que nos aproximássemos. Como também sou corintiano desde que me conheço por gente, sempre trocávamos alguns palpites de torcedor sobre aquele jogador que marcou dois gols na partida, aquele que foi substituído ou o outro, duramente criticado por nós dois, que cometeu um pênalti que influenciou no resultado da partida. Em meio à Revolução Francesa e a colonização dos países africanos, sempre aparecia um “pitaco” esportivo. Era a nossa sintonia.
Seu Clemente tinha uma fome de querer ensinar que causava espanto. Era aposentado – minha mãe foi aluna dele - e ainda continuava exercendo a profissão, simplesmente pela paixão. Vivia com um jornal na mão e já foi vereador da cidade. De certa forma, me inspirou para seguir essa profissão.
Também foi vereador em Irapuru e recebeu honrarias do município por sua credibilidade regional e o destaque no setor da educação. É um gênio. Possuía um conhecimento mágico, uma transparência incrível e uma calma fascinante.
O tão famoso professor Clemente ainda continua com sua pacata e velha rotina de educador. Ainda mora em Irapuru e continua ensinando os fatos marcantes da história do Brasil e do mundo para os sortudos alunos da E.E. José Édson Moysés, mas sempre com um jornal na mão...

 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Qual professor marcou a sua vida?

 Por Stefanny Silva

Sempre tive meus problemas com matemática e eles só se acentuaram até eu chegar na 6°série. Então, após a primeira prova do bimestre. a professora Cecília Boaventura veio me perguntar se o problema estava na maneira como ela explicava a matéria ou se eu não conseguia me concentrar, mas tínhamos que achar uma solução.

Qual professor marcou a sua vida?

Por Lucas Matheus

Nada é por um acaso!
Durante os anos em que passamos pela escola, alguns professores conseguem ser mais do que simplesmente mestres.  É engraçado, mas existem situações em que o professor parece fazer parte da família. Comigo foi assim.
Lembro-me que na terceira série do Ensino Fundamental, quando ainda estudava no SESI, toda a turma estava ansiosa para conhecer a nova professora que assumiria a classe. Dúvidas e curiosidades não faltavam: “Será que ela vai ser legal?”, “Será que ela é brava?”, “Será que ela é bonita?”.

Qual professor marcou a sua vida?

Por Thiago Vasconcelos

Professor, mais que um educador
Professor, aquele profissional que é responsável por grande parte dos ensinamentos que usamos para nossa formação pessoal. Aliado à família, esse grande educador não só nos ensina matemática, português, história, mas também faz com que aprendamos a conviver com nossos amigos de classe. Mas, por muitas vezes, acabamos criando uma afinidade com este profissional, sentimos que eles são realmente um membro da nossa própria família.

Dia do Professor: Tudo vale a pena

Por Ariadne Bognar

Feliz dia do professor.
Essa data deve ser tão especial quanto comemorar aniversário, ou não? 
Que este dia possa ser bom e aumentar mais o desejo que continuar atuando e melhorando as nossas vidas.
Cada momento, cada ensinamento, uma verdade e leva o pensamento a lugares que talvez, sozinhos, não conseguiríamos chegar.
Aprender coisas novas e melhorar o que sabemos é empolgante, mas o exemplo ensina de maneira marcante.
A pessoa que abraça a causa de ensinar é digna de respeito. Possui uma paciência que eu não tenho, um carisma que eu não tenho, um conhecimento que eu AINDA não tenho. Como disse Augusto Cury, bons pais corrigem erros, pais brilhantes ensinam a pensar. Se enquadra? Acho que traduz a convivência.
Obrigada por tudo.
 

Qual professor marcou a sua vida?

Por Michelle Ferreira Soares

Muitos profissionais da educação passam por nossas vidas, mas apenas alguns, aqueles ao qual chamamos de professores, nos marcam da maneira mais bonita. Para citar tal situação, me recordo de uma professora do colegial, a senhora Arlete Mosca.
Elegante, muito bem arrumada e sempre muito educada (até nos momentos em que deveria ser ríspida), ela não se contentou em aplicar apenas as lições impostas pelo material didático fornecido pelo governo estadual, ela reuniu materiais, textos e livros que possuía para ensinar literatura para aqueles 45 alunos, muitos deles sem expectativas de aprender.
Agradeço todos os dias por aquela mulher ter esperado mais de nós, ter escrito lousas e lousas de texto (que naquela época eu odiava com todas as minhas forças), pois foi através dos calos que criei por copiar as matérias dela que cheguei onde estou.

Qual professor marcou a sua vida?

Por Fernanda Muniz Viana 
O profissional do futuro
Profa. Ayne
No dia 12 de abril de 2011, o movimento “Todos pela Educação” lançou uma nova campanha de mobilizaçã com uma iniciativa nobre, buscando uma maior valorização desses profissionais responsáveis pela educação da humanidade, o professor.  Sob o slogan “Um bom professor, um bom começo”, o vídeo demonstra e conscientiza a pessoa que o assiste, de que o bom professor é aquele que pode realmente mudar vidas e transformar a sociedade através do seu bom trabalho.
Tendo em vista isto, creio que o trabalho de um professor está muito além dos conteúdos, para estudo, propostos em sala de aula. É com o professor, dentro de uma sala de aula, que as crianças muitas vezes entendem com mais exatidão valores como coletividade e senso de democracia. Além disso, é com o professor que ele aprende a aceitar seus próprios limites no aprendizado e criar laços de admiração e respeito, formando assim adultos cientes de seu papel social. O professor ajuda na formação da própria identidade do indivíduo.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O desafio de viver com as diferenças

Por Francielly Lavos Pereira  - 2°ano do Ensino Médio no Colégio Toledo de Araçatuba

Conviver com as diferenças não é fácil, pois cada pessoa pensa de um jeito, vê o mundo de uma forma. Mas será que as pessoas  são tão distintas como aparentam ser ou são elas que geram esses conflitos?
Biologicamente somos 99.9% idênticos e apenas 0.1% distintos, ou seja, não há diferenças entre os seres humanos, o que há é uma diversidade de culturas e opiniões que caracteriza os grupos e as sociedades.
Muitas etnias são discriminadas por conta da cor da pele, pela lingua que falam e até mesmo pela história de seu país. Por conta disso, acabam sendo vistas como "estranhas", pessoas sem importância, mas elas também são filhos de Deus,  fator mencionado na música "Uns iguais aos outros", da banda Titãs.
As pessoas não devem ser obrigadas a serem todas idênticas, fazerem as mesmas coisas, terem o mesmo pensamento, pois é através das diferenças que aprendem a viver em sociedade e sempre estão  aprendendo algo novo.
Conviver em harmonia faz um bem a todos e contribui para a formação de um mundo melhor.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Festa na floresta

Era setembro, época de inverno na floresta, quando todos ainda pensavam em se aquecer com festas e muita diversão. Organizavam juntos, o Leão, a Tartaruga, o Jacaré, e a única mulher, a Arara. Queriam que tivesse atrações como um jantar bem preparado e alguns lugares mais quentes para poderem se estabilizar. A maioria das ideias eram do Leão, sempre pensava em montar a festa com um jeito bom e com que todos concordassem. Depois só faltavam combinarem como iriam divir as tarefas. Então, a Arara, bem organizada, disse:


-  Leão, você poderia ficar encarregado de ir buscar os tapetes?
- Prefiro cuidar do jantar, sou um ótimo cozinheiro e assim o Jacaré já colabora com algo.
Então o Jacaré e a Arara concordam com isso, e o Leão foi para a cozinha junto com a Tartaruga fazer o jantar.
Tartaruga: - Um pouco menos de pimenta Leão, assim vai ficar forte demais. 
- Não tartaruga, fique tranquila que eu conheço o ponto certo.
E assim, com algumas discussões foram aprontando a comida para todos.
Mais tarde chegaram a Arara e o Jacaré com muita fome, já cansados, pois foram  buscar os tapetes um pouco longe, e perguntaram sobre o jantar.
Arara: - Leão, como anda nossa comida? Já pode ser servida?
- Sim, 20 minutos e já está na mesa.
Passaram os 20 minutos e o Leão chamou a todos para comer. Quando deram a primeira garfada, sentiram um gosto muito forte de pimenta, cuspindo tudo e correndo atrás de água urgentemente enquanto só o Leão se deliciava, pois é forte o suficiente para aguentar qualquer tipo de tempero.
Moral: “De boas intenções o inferno está cheio”

Isabela Fregonesi

A Lagartixa e o Grilo

 Era noite, uma típica noite de inverno, e uma pequena lagartixa que morava em baixo do mesmo teto de uma família andava pela cozinha daquela pequena casa. Seguia caminhando, quando deu de cara com o grilo, que cantava alegremente no jardim. O grilo ouviu alguma coisa estranha se aproximando da inocente lagartixa e alertou-a:
- Ei você! Não dê mais nenhum passo.
A lagartixa olhou de cara feia e respondeu:
- Posso saber o porquê de você interromper meu passeio noturno? Eu hein... gente louca!
- Não dê mais nenhum passo! Estou falando sério, vai me agradecer depois.
A lagartixa não deu atenção às palavras do grilo e continuou seu caminho.
Um pouco distante dali, a lagartixa seguia seu rumo, quando ouviu um barulho estranho se aproximando e lembrou do que o grilo havia dito.
- Oh não!!!
A vida para a lagartixa havia chegado ao fim, nem teve tempo de respirar antes de ser esmagada pelos pés do dono da casa onde estava andando. O grilo olhava a morte da lagartixa sem interesse, pois já havia feito sua parte. O arrependimento vem dos desavisados.

Pedro Henrique

O escorpião e o passarinho

 Em um belo dia, um passarinho que pousava triste em uma árvore avistou um escorpião e resolveu dizer:
- Nossa, existe uma tristeza muito grande me corroendo por dentro.


O escorpião, curioso, resolveu perguntar qual era o problema. O passarinho, muito desanimado, disse:
- Estou tão triste porque meu pai foi em busca de comida para meus irmãos e ficou preso em uma armadilha!
O escorpião, demonstrando tristeza, perguntou ao passarinho:
- Mas e agora? Quem vai cuidar de seus irmãos, quem vai alimentá-los?
O passarinho respirou fundo e falou:
- Bom, eu não havia pensado nisso, mas vou procurar ajuda.
O escorpião, com uma cara meio misteriosa, resolveu se oferecer para ajudar o pobre passarinho.
O passarinho, sem nem desconfiar do escorpião, aceitou a ajuda e foi voando até o ninho de seus irmãos para mostrar para o escorpião  a situação.
Chegando lá, o escorpião analisou a situação e disse ao passarinho:
- Você pode ir em busca de comida e deixa que eu cuido de seus irmãos!
O passarinho, todo contente, saiu voando em busca de comida. Algumas horas se passaram e quando o passarinho voltou, encontrou todos os seus irmãos mortos .
O passarinho, não entendendo a situação, resolveu tirar satisfação com  o escorpião que disse friamente para o passarinho:
- Talvez se você não tivesse confiado tanto em mim eu não trairia sua confiança, as esse é o meu instinto animal. De boas intensões o inferno esta cheio

Aline Bagio

Uma viagem difícil


Um grupo resolveu fazer uma viagem à África, pois queria conhecer os animais de lá. Eles queriam ficar longe da civilização porque moravam em cidade grande no Brasil, menos  João, que morava em um sítio.



Chegando na África ,viram aquela natureza e ficaram encantados. Então,resolveram fazer uma trilha pela floresta. Depois de muita caminhada, se sentaram debaixo de uma árvore para descansar. A noite foi chegando e perceberam que estavam perdidos.
Começaram a se desesperar, mas graças a experiência de João, conseguiram acender uma fogueira e montar um acampamento. Por isso que em terra de cego, quem tem um olho é rei.
Afonso de Souza Marques

A galinha e a vaca

Era uma vez uma galinha chamada Anita que tinha muita inveja de Shirley,  a vaca mais popular do celeiro e sempre fazia algo para prejudicá-la, até que um dia um de seus planos malignos deu certo e a vaca começou a adoecer. O dono da fazenda e os outros animais tentavam fazer com que sua recuperação fosse rápida.


Quando Anita estava conseguindo tomar o lugar de Shirley no celeiro algo inesperado aconteceu; a vaca conseguiu ter uma melhora instantânea, fazendo com que houvesse uma grande comemoração, com muitas bebidas, danças e como prato principal: galinha assada.

“Quem com ferro fere, com ferro será ferido.”

Bianca Keiel Rossini e Ana Carolina Zucon Bacelar

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Fábula: O Cavalo e o Burro



    Certa manhã, em um sítio na beira da represa, trabalhava um burro muito velho e exausto com uma pesada rotina de carregar cargas.
   Não suportando tal cansaço, avistou um sadio e descansado cavalo resolvendo, assim, lhe pedir ajuda:
  - Senhor cavalo, com esse grande tamanho e imensa saúde, poderia ajudar a este velho e cansado burro?
   - Tome vergonha nesta cara, você acha que eu, lindo cavalo que sou, irei ajudar um burro inútil como você? – disse o cavalo com total desprezo.

   E assim o burro seguiu sozinho seu exausto caminho. Meses depois terminou o estágio de trabalho do burro, iniciando o do cavalo, que certa vez pôs-se a galopar em um pasto vasto de água até que tropeçou  e acabou atolando no barro, implorando socorro.
   No momento, o único ali presente era o burro que ele tanto desprezou. Porém, com toda sua bondade e engolindo o desprezo do cavalo, resolveu ajudá-lo, dizendo:
   - Independentemente do que fez  comigo, minha dignidade nunca morrerá!

Moral: Nunca diga: desta água não beberei.

Felipe Trentin

Fábula: A cobra e a onça



Há muito tempo, uma cobra ajudou uma onça e a mesma prometeu que um dia recompensaria, mas a cobra nunca acreditou na palavra da onça, que até então nunca devolveu-lhe o favor.
Por mais que uma cobra consiga se defender, uma ajuda nunca é demais.    
                                
Mas a onça não queria que a cobra pensasse que elas eram amigas se a ajudasse. Porque não seria bom para suas espécies elas conviverem juntas.                                                                                   
E passaram-se muitos e muitos anos, e a onça ainda não tinha retribuído o favor à cobra. Mas até  um dia em que a cobra ficou presa em baixo de uma pedra muito grande.
Passadas horas e horas, sem ninguém para ajudá-la, já imaginando seu fim, logo pensou: ‘’Eu queria tanto ter algum amigo porque eu tenho certeza que ele estaria aqui agora’’. E foi quando sentiu uma grande força empurrando a pedra. E quando se aliviou da dor, olhou para o lado e viu a onça. A onça olhou para ela e disse: ‘’Eu prometi, não prometi? E sei que demorei muito tempo, mas na vida é assim, não importa o que façamos, se temos fé, as coisas sempre acontecem".

Moral da historia: Antes tarde do que nunca.
Fernanda Venturim e Daniele Prado

Fábula: O Rei e seu Reinado



               Em uma terra muito distante morava um rei e sua riqueza era muito grande, contudo sua ganância fazia dele um rei odiado pelo seu povo, seu nome era Theodoro.

               Theodoro morava em um grande castelo e tinha os melhores cavalos e os maiores banquetes com os mais variados e suculentos pratos, além de um jardim imenso com pássaros e flores ao redor.


               Enquanto isso, na vila de seu povo, o rei mandava os guardas pegarem as melhores mercadorias e os principais alimentos, enquanto o grande rei egoísta vivia uma vida luxuosa e as pessoas da vila na miséria.

              Alfredo, um jovem rapaz da vila, não aguentava ver seus pais chorando e implorando que os guardas deixassem ’o pão de cada dia’ para alimentar seus filhos e então, com sua fúria, decidiu enfrentar o rei.

              Chegado a hora da luta, os dois grandes habilidosos duelistas se enfrentaram durante dias e o rei, cansado e fraco, desistiu do duelo.

             Alfredo contentando-se com a conquista do reinado resolveu poupar a vida de Theodoro, porém expulsou o rei do castelo e melhorou a vida de seu povo, e o antigo rei agora vivia numa miséria que jamais imaginava.    

MORAL: Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Alexandre Fikaris e Rodrigo Irikura

Fábula: A águia e os animais


A floresta ardia em chamas e os animais que ali se encontravam estavam presos, apenas uma ave desfrutava da liberdade, era a águia que estava protegida em cima da árvore mais alta da floresta.Os animais, em desespero, imploravam por sua ajuda.


- Águia, nos ajude por favor, senão todos nós iremos morrer!, imploravam todos.
E a águia dizia:
- Como poderei ajudá-los? Os humanos não irão acreditar em mim.
Os animais imploraram, a ave voou rapidamente até passar por uma nuvem de fumaça onde perdeu a consciência, porém não desistiu. Os animais aflitos já avistavam a morte chegar quando a ave apareceu com a ajuda , todos ficaram aliviados.
Moral da história: Antes tarde do que nunca.

Diogo Rodrigues e Rickson Saito

Fábula: A barata e o percevejo



         Em um dia normal de verão, a barata estava andando tranquilamente em um parque ecológico quando avistou um lindo percevejo. Neste mesmo instante, ela se apaixonou por ele e decidiu que iria conquistá-lo. E a barata passava todos os dias fazendo algo novo para tentar impressionar o percevejo.


         Dias se passaram e nada que a barata fazia dava certo. Cansada, decidiu tentar mais um único dia e se não desse certo ela desistiria. E por fim tentou mais uma vez e o percevejo a notou.
         O percevejo disse que a notava todos os dias, mas que não se aproximava por vergonha. Depois de muita conversa, os dois se beijaram. E a barata disse:
       - Valeu não desistir. Antes tarde do que nunca.
 
Catarina Nogueira e Camila Sampaio.

Fábula: O castor e o cachorro



       O castor ao ver o seu amigo cachorro parado, encarando um penhasco e com uma cara desoladora, decide perguntar:
     - Por que essa cara, amigo?
     -“Estava indo visitar minha família, porém  a ponte que ligava essa parte à outra quebrou e agora terei que dar a volta”, disse o cão com uma decepção perceptível na voz.

      - Posso ajudar você construindo uma ponte improvisada, disse o castor.
      O cão agradeceu, mas disse que não confiava em pontes improvisadas e que iria descansar à noite.
      O castor não o ouviu e construiu a ponte mesmo assim.
      No dia seguinte, quando o cachorro foi atravessar a ponte, ela quebrou e o cão morreu.

Moral da história: De boas intenções o inferno está cheio.

André Luís de Sousa Flor e Gabriel Silva Gennari Marjoto

Fábula: O que vem depois da moral


                                   
 Depois da vitória mais do que merecida da Sra.Tartaruga, a lebre, incapaz de conter sua impaciência, foi tirar satisfação com a comissão organizadora do evento:

- Pois onde já se viu uma tartaruga qualquer ganhar o reconhecimento da floresta inteira por uma mera corrida?
- Mas lebre, o que podemos fazer? A chance foi proporcionada a todos, e você não soube valorizar - disse o elefante, um dos juízes.
A lebre, rancorosa e ingrata, prometeu ali, perante todos, que nunca mais iria voltar a pisar naquele canto da floresta e, ainda mais, para ela, a tartaruga havia morrido.
 Com o passar do tempo a lebre se viu passando por dificuldades, e resolveu ir embora da onde morava. Então, pegou suas coisas e saiu correndo sem rumo algum.
Com tantos problemas, a lebre não tinha cabeça para nada. Só voltou a si depois que se deparou presa em uma armadilha.
 Desnorteada, sem saber o que fazer, ela começou a gritar por ajuda.
 Passando por ali, a tartaruga avistou a lebre em apuros, mas mesmo assim não deu ouvidos.
Vendo aquilo, a lebre inconformada disse:
- Você não está me vendo aqui? Estou presa!
- Se lembra do acontecido na corrida? Pra você há muito tempo eu morri - respondeu a tartaruga andando lentamente até que a lebre já não podia vê-la.

MORAL DA HISTÓRIA: "Quem com ferro fere, com ferro será ferido".

Caíque Lopes e Débora Braghin

Fábula - O macaco e o leão

Havia um leão muito poderoso. Ele era o rei da floresta. Um de seus amigos, o macaco, foi designado para acompanhar o leão à caça. Porém, o macaco fingia ser seu amigo para tentar tomar o poder do leão.
Durante a caça, o leão se machucou gravemente. No mesmo instante, ele disse ao macaco:
 - Por favor, me ajude!
O macaco, festejando, disse:
 - Para mim, mais importante do que sua amizade é o seu poder. Adeus!

O macaco então seguiu em frente. Porém, na volta à floresta, ele foi picado por uma cobra. Mais tarde ,naquele mesmo dia, o macaco, caído no chão à beira da morte, avista o leão. O rei da selva se aproxima e diz:
- Quem com ferro fere, com ferro será ferido! Desculpe, mas a minha natureza é matar!
Então o leão devorou o macaco! 

Priscila e Gracy

 

Fábulas juvenis

Os alunos da 1a. série do ensino médio do Colégio Toledo de Araçatuba foram estimulados a criar novas fábulas a partir de alguns ditados populares. Saiba quais são eles:
1. "Quem com ferro fere, com ferro será ferido",
2. "Antes tarde do que nunca",
3. "A bom entendedor, meia palavra basta",
4. "De boas intenções o inferno está cheio",
5. "Em terra de cego, quem tem um olho é rei",
6. "Ninguém diga: desta água não beberei",
7. "Não há bem que sempre dure nem mal que sempre se ature", e
8. "Santo de casa não faz milagre".

Acompanhe o trabalho deles nas próximas postagens!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Sugestão de aula: preconceito

1. O jogador Michael, do Vôlei Futuro, de Araçatuba SP), foi vítima de ato homofóbico por parte da torcida durante partida do campeonato brasileiro em Minas Gerais. A manifestação provocou a união do time araçatubense contra o preconceito. Assista ao vídeo para entender o caso:

http://youtu.be/_Pi-Iih4txY


2. Tempos depois, na partida contra o mesmo time, agora em Araçatuba, a diretoria e a torcida do Vôlei Futuro prepararam uma resposta aos torcedores mineiros que repercutiu no mundo todo.  Acompanhe:


http://youtu.be/643AQxMWUdc


3. Depois de assistir aos dois vídeos, leia estas anotações com alguns apontamentos que devem ser melhor pesquisados por você:



4. Pesquise na internet mais textos sobre o assunto. Sugestões:

O jornalista Luís Nassif aborda o problema do preconceito.
http://blogln.ning.com/forum/topics/homofobia-em-preto-e-branco

Notícia recente que chocou o País: pai e filho que andavam abraçados em feira agropecuária são espancados porque foram considerados 'gays'.
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5249203-EI5030,00-SP+pai+e+filho+sao+confundidos+com+casal+gay+e+agredidos+por.html

A opinião de um especialista sobre o tema.
http://jusvi.com/artigos/28327


A partir destas ideias, produza um texto (verbal ou não-verbal) onde você expresse sua opinião sobre o preconceito no Brasil.

Conheça nossas ideias

Nesta apresentação de power point, explicamos melhor como serão as atividades motivadoras para criar e manter este edublog. Sua participação é muito importante!
View more presentations from ayne_regina

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Ferramentas da web pra ajudar

Textos verbais, textos não-verbais. Textos sonoros, textos visuais. Textos exigem plataformas. Antes era o papel, agora tudo conspira a favor, principalmente as ferramentas da web 2.0. Conheçam duas delas, frutos da minha pesquisa para um trabalho durante um curso de EaD (Educação a Distância) realizado pela EducaRede, com apoio da Fundação Telefònica

Apresentação do blog


Este espaço virtual abrigará, a partir de agora, textos motivadores (dos mais variados gêneros e autores), dicas (de profissionais) de como melhorar o ato de escrever, conceitos e técnicas de redação, e, especialmente, a produção de meus alunos, dos mais variados cursos. Também publicará propostas de redações dos principais vestibulares do país e do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), tudo para ajudar quem gosta de escrever a liberar ideias e sentimentos. 

Administrado por mim, este edublog será construído coletivamente. Acredito que esta iniciativa vai enriquecer as minhas aulas de redação porque motivará os alunos a demonstrarem suas criações coletivamente, no mundo virtual.
Com este blog, o retorno aos autores será coletivo, com possibilidade dos alunos reconstruírem ideias e textos. Este será um espaço para os jovens  se autoafirmarem, mostrando pensamentos, sentimentos, criatividade e novos talentos. Sejam todos bem-vindos!