quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Fábula: O que vem depois da moral


                                   
 Depois da vitória mais do que merecida da Sra.Tartaruga, a lebre, incapaz de conter sua impaciência, foi tirar satisfação com a comissão organizadora do evento:

- Pois onde já se viu uma tartaruga qualquer ganhar o reconhecimento da floresta inteira por uma mera corrida?
- Mas lebre, o que podemos fazer? A chance foi proporcionada a todos, e você não soube valorizar - disse o elefante, um dos juízes.
A lebre, rancorosa e ingrata, prometeu ali, perante todos, que nunca mais iria voltar a pisar naquele canto da floresta e, ainda mais, para ela, a tartaruga havia morrido.
 Com o passar do tempo a lebre se viu passando por dificuldades, e resolveu ir embora da onde morava. Então, pegou suas coisas e saiu correndo sem rumo algum.
Com tantos problemas, a lebre não tinha cabeça para nada. Só voltou a si depois que se deparou presa em uma armadilha.
 Desnorteada, sem saber o que fazer, ela começou a gritar por ajuda.
 Passando por ali, a tartaruga avistou a lebre em apuros, mas mesmo assim não deu ouvidos.
Vendo aquilo, a lebre inconformada disse:
- Você não está me vendo aqui? Estou presa!
- Se lembra do acontecido na corrida? Pra você há muito tempo eu morri - respondeu a tartaruga andando lentamente até que a lebre já não podia vê-la.

MORAL DA HISTÓRIA: "Quem com ferro fere, com ferro será ferido".

Caíque Lopes e Débora Braghin

Um comentário:

  1. Gostei muito dessa fábula. O final me surprendeu, quando a tartaruga diz "Pra você há muito tempo eu morri" .Deixou o texto ainda melhor.

    ResponderExcluir